III Domingo do Advento (Gaudete)

Ano Nacional Mariano

Leituras: Is 35,1-6a.10; Sl 145(146); Tg 5,7-10; Mt 11,2-11

POESIA

A ALEGRIA NA ESPERA

Onde está a nossa alegria?
Que tanto nós almejamos,
Que na paz a gente busca,
E que em Deus nós esperamos,
A alegria mais completa,
A ânsia da nossa meta,
Que todo dia sonhamos.

Está no canto e nas santas cores,
Nas luzes, nas árvores e no altar,
Nos presépios, nas ruas e praças
Nossas casas, e no nosso lar
Nos corações orantes,
Nas celebrações vibrantes,
Na assembleia a celebrar.

Está também na profecia,
Na palavra viva ecoando,
No caminhar com os irmãos,
Na espera do novo nos alegrando,
No pão do encontro e do amor,
Eucaristia: força e vigor,
A cada dia nos alimentando.

A nossa espera é orante,
Como uma espera de alegria,
Pois já não se tem dúvidas,
Do tempo que se anuncia
Pois o novo esperamos,
Ouvimos e também pregamos,
O Natal, o grande dia.

Sejamos também precursores,
Desta alegria abençoada,
Dos frutos e dos milagres
Da redenção esperada,
Do amor de Deus menino,
Do louvor que se faz hino,
Que brota da mesa sagrada.

HOMILIA

Esperar com alegria

Estamos no 3º Domingo do Advento, o altar já está mais iluminado com as três velas do advento acessas, os paramentos podem ser de cor rosa, pois a alegria se torna mais forte, porque está próximo o grande momento, o grande dia, a celebração da encarnação do Filho do Altíssimo. Deus que veio ficar perto de nós para nos ensinar como caminharmos para o céu. Está chegando para alegrar o mundo dos que esperam confiante nele.

No Evangelho desta liturgia, Mateus nos apresenta um cenário de realidades e situações que nos fazem pensar como aconteceu a vinda do filho de Deus: João Batista, o precursor, já tem notícias dos sinais referentes ao que ele anunciou e por isso, enquanto está prisioneiro, envia discípulos para certificar-se se é mesmo o Messias que está no meio do povo.

A resposta de Jesus aos mensageiros de João sinaliza a certeza da presença de Deus feito homem no mundo. Pela sua presença e ação “os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados.” (Mt 11,5). Agora muitos já desfrutaram da ação milagrosa do Filho de Deus, porque sentem a realização do Reino em suas vidas. Jesus ainda faz um elogio a João Batista: “Em verdade vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele.” (Mt 11,11).

O Reino de Deus agora está no meio dos homens, a preparação desta vinda custou a condenação de João Batista, pois assim foi o destino de quase todos os profetas no Antigo Testamento. Os verdadeiros profetas, na caminhada de Israel, foram sempre anunciadores das realidades de Deus, seja da alegria, seja no anúncio da Justiça, seja na denúncia da opressão e morte contra o povo.

No que se refere ao anúncio da alegria e do júbilo, podemos constatar na primeira leitura, quando Isaías, pelas suas palavras, fala daquilo que o povo esperava já naquele tempo. Ele anuncia o que irá se cumprir em Jesus: “Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. Germine e exulte de alegria e louvores.” (Is 35,1-2). E os cristãos podem cantar esta realização, pois a salvação já se faz presente em todos, já veio a primeira vez, ressuscitou e agora espera-se uma vinda gloriosa não mais marcada pela carne, mas no Espírito, como o vencedor da morte, sem a barreira da corrupção, porque virá para chamar e levar para junto de si, na sua glória aqueles que fizeram opção pelo seu reino eterno.

São Tiago nos encoraja a continuarmos firmes nesta espera, como o agricultor, que nos desafios da seca, espera firme o tempo das chuvas para molhar o chão e ver germinar a semente sepultada no chão. E diz ainda que a vinda do Senhor está próxima, por isso é necessário manter-se na espera sem desanimar (cf. Tg 5,7-8).

Viver o Advento, portanto, é fazer a experiência da espera do Senhor em nossas vidas, é querer caminhar com perseverança alimentados pela Eucaristia, mesmo que os dias sejam de grandes sofrimentos. É ouvir a Palavra, mesmo que os nossos ouvidos estejam um pouco surdos, e muitas vezes infectados pelos barulhos do mundo que polui nossas consciências com palavras de desânimo e que destrói o otimismo e a fé. Mas nossa fé e nossa espera é em Deus que nos enche de alegria, otimismo e paz.

Abençoai Senhor o caminhar do povo de Deus e de tantos irmãos e irmãs que esperam dias de restauração em suas vidas e seus lares. Protegei os que anunciam a verdade do Evangelho e os que mesmo nas perseguições por causa do Reino, como João Batista, permanecem firmes e corajosos. Amém.

Adicionar a favoritos link permanente.

3 Comments

  1. Mauricio Martns dos Santo

    Eh a prmeira vez q leio palavra e poesia, gostei muito. Parabens!!.. e Deus o Abençõe…

  2. FRANCISCO PEREIRA FILHO

    Parabéns prezado irmão, pela feliz iniciativa. O conteúdo está excelente.Duac

  3. FRANCISCO PEREIRA FILHO

    Parabéns prezado irmão, pela feliz iniciativa. O conteúdo da postagem está excelente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.