XXI Domingo do Tempo Comum, Ano B, São Marcos

 

⇒ Ano de São José (2020/2021) ⇐
Mês Vocacional – Domingo da Vocação do Cristão Leigo ⇐

 

Leituras: Js 24,1-2a.15-17.18b; Sl 34(33); Ef 5,21-32; Jo 6,60-69

 

 

⇒ HOMILIA ⇐

Decidir com Quem Caminhar

Jo 6,60-69

 

Meus irmãos e irmãs, o mistério pascal do XXI Domingo do Tempo Comum, o quinto e último do “Discurso do Pão da Vida”(1), neste Ano de São José, nos motiva a decidir pelo dom da Vida Eterna. E o Evangelho desta Liturgia está em Jo 6,41-51.

A Igreja, com esta Liturgia da Palavra, nos motiva a ruminar sobre a nossa escolha diante do discurso que Jesus fez e faz sobre o Pão da vida. Até que ponto nos incomodamos com o que o Senhor nos fala pelo Santo Evangelho? Será que nos questionamos sobre nossa vida de cristãos batizados em nome do Senhor? Estamos dispostos a atravessar pela porta estreita (cf. Lc 13,22-30)?

O mundo nos incomoda e nos questiona a partir de nossas atitudes às vezes incoerentes, ou seja, vida vazia de testemunho. Conseguimos esconder muito pouco a incoerência das nossas falas e reflexões que brotam da escuta, nem sempre atenta, da Palavra. Por isso a caminhada com Jesus, a qual fizemos opção de vida (seja consagrada, ordenada ou leiga), precisa estar engajada num ministério.

Constatamos, no Evangelho desta Liturgia, o quanto foi duro, para os que já estavam no caminho de Jesus, ouvir seus critérios de adesão ao discipulado. Murmuraram e disseram: “Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?” (Jo 6,60). Parece-nos que as palavras pronunciadas no seu discurso de Jesus soaram de forma muito pesada no coração de quem ouvia.

Mas podemos nos perguntar se aqueles “ouvintes” estavam mesmo escutando com o coração ou estavam escutando com seus interesses? Era para servir ou para serem servidos? E nós, o que respondemos hoje com a conclusão do Discurso do Pão da Vida?

Somente os que abraçaram de corpo e alma, mesmo com suas misérias, indignidades, carências, fraquezas, tal como os apóstolos, foram capazes de ouvir e professar a fé no Pão da vida. Mesmo aos “trancos e barrancos” seguiram em frente, mas decididos em continuar aprendendo com o Mestre, pois suas Palavras “são espírito e vida” (Jo 6,63). Com isso, podem levar a vida verdadeira e dá sentido ao caminhar dos seguidores, alimentar a fé dos que caminham em meio as alegrias e tristezas, dores e angústias…

Na primeira leitura desta Liturgia, a Igreja nos oferta o texto que narra a assembleia de Siquem (cf. Js 24,15). E mesmo o povo já seguindo o caminho de Deus, Josué motiva o povo a renovar a sua fé e fidelidade no Senhor Deus. Nossa vida também é assim, precisamos sempre renovar no encontro com a Palavra e com a Eucaristia, nossa fé em Jesus, Ressuscitado, pois fomos chamados através do Batismo a fazer parte do novo povo de Deus.

Na segunda leitura (cf. Ef 5,21-32) a Igreja serve uma passagem da Carta de São Paulo aos Efésios, que trata da vida doméstica dos cônjuges (casal que está debaixo do mesmo jugo, da mesma canga). O Apóstolo nos apresenta a experiência da vida matrimonial como um espelho da vida de Cristo com a Igreja. Nossa vida de cristãos deve ser marcada pelo amor e pela obediência, podemos dizer: submissão à Palavra de Cristo Esposo, que, por sua vez, entrega-se à obediência ao Pai, doa toda sua vida a favor da sua esposa, que é a Igreja.

E este quarto Domingo do Mês Vocacional é dedicado à vocação dos cristãos leigos e leigas. Rezemos para que os leigos sejam “sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”(2), tendo como referência a família de Nazaré, Jesus, Maria e José, exemplo de simplicidade, de fidelidade dos dons em vista do projeto de Deus e do amor ao próximo.

Peçamos a Deus, Pai santo, justo e misericordioso, que nos ilumine em nossa conversão diária, fruto de arrependimento, muitas vezes imperfeito, para que possamos renovar nossa escolha diariamente por Ele, como fez o Filho e guiados pelo Espírito Santo, que dá vida à carne, pois como nos motiva o salmista, possamos provar e ver o quão suave é o Senhor.

*   *   *
(1) Cf. BECKHÄUSER, Frei Alberto. O Ano Litúrgico: Com Reflexões Homiléticas para cada Solenidade, Domingo e Festa do Senhor. Petrópolis: Vozes, 2016. p. 226.
(2) Tema do Ano do Laicato, promovido pela CNBB em 2017/2018, cujo lema foi “Sal da Terra e Luz do Mundo (Mt 5,13-14)”.

 

*   *   *

 

⇒ POESIA ⇐

Escolher o Caminho

 

O Senhor nos pede uma escolha:
Caminhar com ele
Ou outro percurso seguir,
Mesmo já tendo iniciado o caminho,
Alguém pode desistir.
Perder-se em meio à multidão,
Seguir os desejos do coração,
E a Palavra da vida não mais ouvir.
*
O Senhor nos pede uma decisão,
Quando sua Palavra escutarmos,
E refletirmos e logo escolhermos,
Com Ele não mais caminharmos,
Sem Ele somos indignos até de mendigar,
Podemos seguir um ídolo e adorar,
E numa vida vazia mergulhamos.

*
E a quem podemos seguir, Senhor?
Se Tuas palavras são espírito e vida,
Pois não há outro Deus a adorar,
Somente em Ti, perdão e acolhida,
Tua palavra é o Santo Pão,
Teu Corpo e Sangue é comunhão,
Que se faz na comunidade reunida.


*   *   *

 

Referência da foto: David Shankbone (2007), In wikipedia.org

 

 

Que a Palavra e a Luz de Jesus Cristo, o Pão que nos leva à vida eterna, ilumine o seu caminho!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.