XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Leituras: 1Rs 3,5.7-12; Sl 118(119); Rm 8,28-30; Mt 13,44-52

POESIA

O REINO DE DEUS É PRECIOSO

Ele é nosso tesouro,
Que se dá gratuitamente,
Nossa riqueza e beleza,
Que se faz em nós presente,
Sempre e sempre encontrado,
Pra vida eternamente.

Ele é a nossa Pérola,
Que também nós procuramos,
Exige assim nosso esforço,
Quando então nós o buscamos,
Precisamos então vender,
Tudo que idolatramos.

Ó sabedoria eterna,
Que Salomão suplicou,
Fazendo-lhe um grande sábio,
Porque a Deus o conquistou,
Foi um rei de muita dádiva
E este tesouro comprou.

E no mar da nossa vida,
Que a todos sempre alcança,
Na rede do julgamento,
O amor nossa esperança,
Pois no amor somos julgados,
E o Reino é nossa herança.

Busquemos incansavelmente,
O Reino, nossa riqueza
Este dom tão valioso,
Que nos traz a fortaleza,
Quem o encontra jamais deixa,
Porque dar força e firmeza.

E hoje o Povo de Deus,
Encontra na Eucaristia,
O tesouro precioso,
Que lhe dar força e alegria
Já não é mais escondido,
Está visto à luz do dia.

HOMILIA

Reino de Deus: tesouro e pérola

Irmãos e irmãs, hoje o Senhor nos convoca para mais uma vez participarmos da mesa da sua Palavra e do seu corpo e sangue. Alimentos que não perecem e que matam para sempre a nossa fome e sacia eternamente a nossa sede.

O capítulo 13 de Mateus, o qual nos conta várias parábolas, hoje é concluído, com mais três histórias que Jesus nos conta para comparar com o Reino de Deus. Diante da missão, Jesus sempre usou da sua criatividade para que sua mensagem pudesse atingir o coração das pessoas. Para os fariseus ele era um contraventor, um desobediente à Lei. Para o povo era o mestre, o defensor e representava a esperança.

A primeira parábola é a do tesouro escondido, que é encontrado por um homem do campo, que vende tudo o que tem para comprar aquele pedaço de chão e poder tomar posse do tesouro (cf. Mt 13,44). Foi este tesouro que muitos encontraram ao ouvir as Palavras de Jesus. Foi esta riqueza que os discípulos, deixando suas redes, suas família e suas rotinas, compraram. Eles entenderam o sentido do Reino de Deus, pois foram capazes de desfazerem até de suas próprias vidas para testemunharem e também pregarem sobre a Boa-Nova.

Foi este tesouro (a sabedoria) que Salomão optou quando foi ao santuário e em oração fez o seu encontro pessoal com Deus. Disse o Senhor: Pede o que desejas e eu te darei (cf. 1Rs 3,5). E Salomão responde: Dá, pois, ao teu servo, um coração compreensivo, capaz de governar o teu povo e de discernir entre o bem e o mal (cf. 1Rs 3,9). Foi com este segredo que Salomão se tornou o rei mais sábio de Israel. Ele fez a opção pela sabedoria de Deus e se deixou guiar por ela.

A segunda é muito parecida com a primeira. A diferença é que quem compra pérolas, se esforça para encontrar uma de maior valor possível. Quando a encontra vende seus bens para poder adquirir aquela valiosa pérola (cf. Mt 13,44). Neste segundo momento vale lembrar que precisa-se do empenho, do esforço para que o Reino seja encontrado. Há uma busca e uma valorização maior, porque parte de quem se interessa.

Em nossos dias sabemos que este Reino ainda está escondido, mas sempre é possível de ser encontrado. Está escondido e ao mesmo tempo pode ser encontrado nos grupos, nas pessoas que deixaram (venderam) um modo de vida e refizeram seus caminhos e vivem seguros de terem encontrado o mais valioso tesouro que dá o sentido de suas vidas, o próprio Cristo, sua Palavra, seu Corpo e Sangue (Eucaristia).

De outro modo, outras pessoas, “caindo em si” (cf. Lc 15,17), procuraram comprar a pérola mais preciosa, a mais importante, a qual precisava tomar posse. Buscar a pedra mais cara exige esforço, busca, perseverança e um redirecionamento da vida. Tomar posse do Reino de Deus e fazer com que ele se torne realidade é um processo no qual se inicia a nossa peregrinação rumo a salvação.

A terceira parábola fala da diferença que há entre os que têm o tesouro e o que o desprezaram. Os peixes bons e os maus. Os que buscaram o amor e os que fizeram a sua opção por algo sem valor. O Reino de Deus está em nosso meio, mas precisa ser encontrado e buscado por cada um de nós.

No julgamento final seremos avaliados de acordo com as nossas opções. Os que abraçaram o valioso tesouro do Reino de Deus (os bons), serão separados dos que não optaram e se deixaram levar pelas ilusões do mundo. Que no dia do juízo possamos rezar como o salmo 118: “Como eu amo, Senhor, vossa lei, vossa Palavra! É esta a parte que escolhi por minha herança: observar vossas palavras, ó Senhor! A lei de vossa boca, para mim, vale mais do que milhões em ouro e prata”. Reflitamos sobre o Reino de Deus e seu valor incalculável! Amém.

Adicionar a favoritos link permanente.

3 Comments

  1. Que palavras maravilhosa que sabedoria que me faz refletir muito bom

  2. Maria Divina dos santos

    Jesus é o representante da esperança, sua presença é o tesouro precioso que nos dá força e alegria, e sua palavra é o alimento que mata nossa fome!!!!
    Muito bonito… ???

  3. Jesus, nosso unico, tesouro.
    Ótima, reflexão, amado diácono.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.