Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo – Ano A, São Mateus

 

Leituras: At 1,1-11; Sl 46(47); Ef 1,17-23; Mt 28,16-20

 

⇒ HOMILIA ⇐

Cristo subiu ao céu para nos elevar à santidade

Mt 28,16-20

 

Neste domingo da Ascensão do Senhor celebramos a plena glorificação de Cristo e a vitória de todos os seus seguidores. Todos nós estamos destinados à santidade porque o nosso Deus é santo e nos faz santos.

“Ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo…” (Mt 28,19). A Igreja é fundada neste mandato missionário que os discípulos recebem de Cristo. E ela nasce a partir do Batismo, sacramento que insere todos no caminho da santidade, como filhos e filhas do mesmo Deus. Caminho da santidade porque ser batizado significa ser santificado, lavado do pecado original e de todos os pecados. As manchas que colocamos em nossa vida após o batismo serão lavadas pelo sacramento do perdão e da reconciliação.

Porém não é suficiente somente batizar, mas é necessário que os enviados por Cristo ensinem os convertidos a observarem tudo o que o Senhor os ordenou (cf. Mt 28,20). O discipulado é aperfeiçoado pelo ensinamento do Evangelho na vida de batizado, para que, na sua existência, ele conheça cada vez mais a vida em Cristo. Esta tarefa na Igreja cabe aos ordenados, aos consagrados e aos catequistas, os quais recebem tal mandato de preparar as famílias (crianças, jovens e adultos) para o encontro com Jesus, nos sacramentos da iniciação cristã (Batismo, Eucaristia e Crisma).

Naquela despedida de Jesus, ele encerra dizendo: “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo” (Mt 28,20). Todos os que evangelizam e vivem a experiência com Cristo, devem ter esta certeza: O Senhor caminha com a gente. Porque a subida de Cristo ao céu não significou ausência do seu Espírito em nossas vidas. Significa sim que ele se elevou para também nos elevar à santidade e ao seu reino eterno.

Cristo estará sempre presente na missa, encontro com seu corpo e sangue, que é a Eucaristia. Ele permanece na Palavra proclamada, nos altares, no meio da família, nos encontros, nas caminhadas penitenciais, romarias. Sua Palavra também faz nas pastorais sociais, nas ações de amor, de caridade, de justiça, de paz e na convivência fraterna. Também quando partilhamos nossas alegrias e angústias e queremos que ele nos ajude e nos aponte o caminho a seguir.

Outro aspecto importante da nossa vida cristã é que somos marcados por realidades humanas e celestes. Os discípulos, no momento da Ascensão, ficaram quase que atordoados com a visão das nuvens. Diante disso, eles recebem a mensagem dos homens de branco: “Homens da Galileia, por que ficais aqui parados, olhando para o céu?” (At 1,11). Esta mensagem nos ensina que o nosso olhar deve está voltado para Cristo que caminha conosco, pois ainda vivemos as situações terrenas. Não podemos ficar somente na contemplação, mas também partir para a ação evangelizadora. É preciso seguir em frente para a missão até os confins do mundo.

Muitas vezes temos a tentação de nos fixar somente num dos extremos da vida Cristã: Ou somos muito espirituais ou somos muito ativistas. Buscamos somente a Igreja institucional, sua hierarquia, nos voltamos para a sua estrutura. Em outros momentos ficamos quase que flutuando com os pés distantes do chão, olhando para as nuvens como aqueles discípulos. A experiência de oração e de escuta constante da Palavra nos faz encontrar o equilíbrio.

Não podemos esquecer que toda a nossa vida é guiada pelo Espírito Santo, o Espírito da verdade e da sabedoria. São Paulo, na sua carta aos Efésios, nos fala: “O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a Glória, vos dê um espírito de sabedoria… Que ele abra o vosso coração à luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá…” (Ef 1,17.18). É este espírito de sabedoria que ilumina, que guia e que dá força ao discípulo missionário de Cristo no mundo.

Portanto, depois destes quarenta dias de vida pascal, nós, irmãos e irmãs, como os discípulos daquele tempo, lá na Galileia, somos chamados e enviados a vivermos o Evangelho nas nossas diversas realidades concretas, fora dos muros da Igreja e com os pés no chão. Porque Cristo está conosco, ele caminha ao nosso lado para nos dá perseverança e nos capacitar para a semeadura da sua Boa-Nova. A Ascensão é o acontecimento mais profundo da ressurreição de Jesus, porque a sua elevação também nos eleva. A sua santificação é para a nossa santificação pela ação do Pai e do Filho e do Espírito Santo. É este o nosso destino. Amém.

 

***

⇒ POESIA ⇐

Cristo nos eleva à santidade

 

Igreja que nasce do mandato de Cristo,
Gerada no mistério da ressurreição,
Que é chamada a viver e espalhar o amor,
Sendo sinal de paz, justiça e libertação,
Sobre a força viva do consolador,
Conduzindo seus filhos a santificação.

Povo novo nascido do lado de Cristo,
Animado pela beleza de se viver,
Enviado além da pequena Galileia,
E o coração vivo sempre a arder,
Chamando os povos à Santa Assembleia,
Semeando o Evangelho sem esmorecer.

A Santidade de Cristo também é nossa,
Ele subiu ao céu para a nossa santificação,
Esperando um dia também a nossa santidade,
Porque ele nos veio para a nossa salvação,
E neste mundo pregou sempre a igualdade,
Nos conduzindo para uma vida de comunhão.

E nesta caminhada de filhos peregrinos,
O Senhor está sempre conosco a caminhar,
Nos guia, nos ensina e nos faz missionários,
Para o Evangelho pelo mundo inteiro semear.
E nós devemos ir aos tantos destinatários,
Para na vida nova de santidade apresentar.

Cristo cumpre sua promessa de estar conosco,
Nos diversos momentos de nossa existência.
Ele está conosco na Santa e viva Eucaristia,
Na sua palavra Sagrada e divina ciência,
Na caridade, no bem da vida de cada dia,
Nos encontros, na missão e na benevolência.

 

 

*** Que a Palavra e a Luz de Jesus Cristo, que ressuscitou dos mortos, se mostrou vivo aos escolhidos e diante dos olhos destes subiu aos céus, ilumine o seu caminho! ***

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.