Quarta-Feira de Cinzas

Dia de jejum e abstinência

Campanha da Fraternidade Ecumênica: “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor”

*** Ano de São José (2020/2021) ***

 

Leituras: Jl 2,12-18; Sl 51(50); 2Cor 5,20-6,2; Mt 6,1-6.16-18

 

 

⇒ HOMILIA ⇐

Cinzas, Esmola, Oração e Jejum

Mt 6,1-6.16-18

 

Meus irmãos e irmãs, o mistério pascal da Quarta-Feira de Cinzas, neste Ano de São José (0/3), nos motiva a iniciar um itinerário espiritual tendo como base a esmola, a oração e o jejum. E o Evangelho desta Liturgia está em Mt 6,1-6.16-18.

Caminhando com o Senhor entramos no Ciclo Pascal, que traz inicialmente a Quaresma como tempo de preparação para a festa mais importante do ano litúrgico: a Páscoa do Senhor, o centro da caminhada e da experiência litúrgica.

Já iniciamos esta caminhada recebendo as cinzas em nossas cabeças. A atitude deve ser de simplicidade e de reconhecimento de que o nosso corpo é perecível e que necessita da vida infinita em Cristo Senhor.

A fé, a esperança e a caridade são virtudes que nos sustentarão neste tempo de penitência aos pés do Senhor. Com Ele queremos caminhar passando pelo calvário, pela Cruz e acordar na manhã da Ressurreição com um coração renovado e alegre, para cantar o aleluia vibrante e cheio de convicção no Ressuscitado.

O evangelista Mateus nos apresenta Jesus orientando os seus discípulos para terem cuidado com as ações diante das pessoas, aquelas realizadas somente para alimentar as nossas aparências. Há algo que deve brotar do coração para que seja agradável a Deus. Por isso as práticas da esmola, da oração e do jejum devem ser realizadas com um coração simples e voltado para Deus.

A esmola deve encontrar o sentido da caridade e não para ser divulgada. Muitas vezes a nossa presença, com o acolhimento e a misericórdia, é concretização da esmola que o Senhor nos pede a realizar.

A prática de oração deve ser mais interior e com um coração que ouça as súplicas humanas. Com esta postura podemos também ouvir Deus que fala na nossa vida e nos pede que vivamos a mansidão nas relações humanas, com os irmãos e com o próximo.

Nossa experiência espiritual deve ser vivida, sobretudo, nas missas, deixando que a Palavra nos ajude em nossa conversão, num encontro que alimente nossas esperanças e nos possibilite um verdadeiro encontro com Cristo.

E o jejum não deve estar apenas dentro do nosso intimismo, mas na intenção, no propósito. Também devemos ter em consideração os que têm fome, qualquer fome. Como é bom e bonito deixar de consumir certos alimentos e depois oferecer o que juntou, com as abstinências, aos necessitados.

O importante é que tais práticas espirituais tenham como fruto a nossa conversão, a busca permanente pela santidade. Também é um tempo próprio para reavaliarmos nossa vida de batizados que querem seguir o Senhor na vida de caridade (a esmola), na prática da fé (a oração) e de esperança no Reino (jejum). Esta experiência deve nos ajudar a sermos melhores pais de família, melhores filhos, melhores consagrados e ordenados, melhores evangelizadores a serviço do Reino de Deus.

Todo esse caminho requer esforço e luta contra as tentações materiais e espirituais. É importante estarmos conscientes que temos de sair da zona de conforto para realizar este exercício de santidade.

Lembremos do que diz o profeta Joel: “rasgai o coração, e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus” (Jl 2,13). Faz-se necessário transformar o nosso coração para mudar de vida. O apóstolo Paulo nos exorta a vivermos a reconciliação com Deus, pois somos embaixadores de Cristo. Somente nesta sintonia com o Senhor é que podemos oferecer um testemunho.

Peçamos ao Espírito Santo a perseverança para que possamos seguir em frente com os nossos propósitos quaresmais e que ao chegarmos à Páscoa tenhamos vencidos as tentações e então possamos dizer: como cristão quero continuar nesta busca constante de cada dia, ser mais santo e mais comprometido com o Evangelho.

 

***

⇒ POESIA ⇐

Caminhos que Levam a Deus

Quero seguir em frente,
Sendo mais crente,
Tendo caridade,
Na simplicidade,
Sem esquecer o mundo,
Nem por um segundo,
Neste ofertar,
Neste escutar,
A quem tem necessidade.

Quero seguir orando,
Sempre escutando,
Ao Deus amor,
Ao irmão na dor,
Que me faz pensar,
E que me leva a orar,
E o coração,
Nesta conversão,
Para o Senhor.

Quero seguir jejuando,
E me transformando,
Em um humano santo,
Sem medo ou espanto,
Sensível ao irmão,
Sendo compaixão,
Coração rasgado,
Mas purificado,
Em Deus o encanto.

Quero prosseguir,
Sem desistir,
Nunca isolado,
Mas sintonizado,
Com todos os irmãos,
Alheios e cristãos,
Aos que não escutaram,
Mas que desejaram,
Santa conversão.

Quero, com o Senhor,
Viver seu amor,
E sempre encontrar,
Para se alimentar,
Na mesa da alegria,
Encontrar a harmonia,
No alimento eterno,
Que nos faz fraternos,
A Eucaristia.

***

 

 

 

**** Que a Palavra e a Luz de Jesus Cristo, fonte e meta da conversão, ilumine o seu caminho! ***

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.