5º Domingo do Tempo da Páscoa, Ano C, São Lucas

 

⇒ Ano “Família Amoris Lætitia” (2021/2022) ⇐
⇒ Intenções do Santo Padre, o Papa Francisco: Pela fé dos jovens ⇐

 

Leituras: At 14,21b-27; Sl 145(144); Ap 21,1-5a; Jo 13,31-33a.34-35

 

 

⇒ HOMILIA ⇐

 

Um Novo Céu e uma Nova Terra, no Amor do Senhor

Jo 13,31-33a.34-35

 

Meus irmãos e irmãs, a Liturgia do 5º Domingo da Páscoa, do Ano C, neste Ano “Família Amoris Lætitia”, nos motiva a contemplar o Senhor Jesus Cristo que nos dá um novo mandamento: amarmos uns aos outros. E o Evangelho desta Liturgia está em Jo 13,31-33a.34-35, passagem que está situada no início da terceira e última parte do Evangelho Segundo São João intitulada “A hora de Jesus. A Páscoa do Cordeiro de Deus” (cf. Jo 13,1-21,25). Numa leitura um pouco mais detalhada, percebe-se que a passagem conhecida como “A despedida” (cf. Jo 13,31-14,31) está no início dos capítulos conhecidos como “A Última Ceia de Jesus com Seus Discípulos” (cf. Jo 13,1-17,26), logo após o episódio do lava-pés.

Nesta Liturgia, Nosso Senhor está em Jerusalém para a festa da Páscoa, segundo o calendário judaico.

E neste 5º Domingo, a Igreja nos oferece um texto do Evangelho que não traz, necessariamente, uma narrativa pascal, mas nos apresenta a base para vivermos o sentido daquilo que é o fundamento da vida nova em Cristo: o amor. O Cardeal Raniero Cantalamessa(1), pregador da Casa Pontifícia, nos lembra que o Evangelho e a segunda leitura, desta Liturgia, apresentam a repetição de uma palavra em comum: o adjetivo novo. E assim diz no Evangelho: “Eu vos dou um novo mandamento” (Jo 13,34a); no Apocalipse: “Vi um novo Céu e uma nova terra; Vi a cidade santa, a nova Jerusalém; Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21,1-2.5). [grifos nossos].

A notícia da Ressurreição traz um sentido novo para vida dos que já seguiam o Senhor e também para todos que foram envolvidos nesse acontecimento. Portanto, a grande novidade é o amor que Jesus vive, de forma imensa, intensa e profundamente, doando-se à humanidade, não apenas pelos Seus seguidores, mas por todos os povos e nações, sendo que o amor de Deus trazido pelo Filho será o alimento dos missionários na continuidade a obra do Senhor.

Podemos então nos perguntar: O que faz uma comunidade cristã ser sempre nova em sua experiência de encontro com o Senhor e os com irmãos? O que faz uma família ser sempre sinal de alegria e de testemunho de Deus no seu ambiente interno e externo? O que nos chama atenção num grupo de jovem que faz a diferença dentro de uma paróquia, nas suas atividades pastorais e na convivência do grupo de forma interna? A resposta será obvia: é o Amor, o novo mandamento de Cristo, a novidade de uma experiência cristã.

E quantas comunidades morreram por não cultivar o mandamento do Amor fraterno, o mandamento novo deixado por Cristo, sendo substituído pela frieza que apaga a chama do Espírito Santo? Quantas famílias são destruídas por causa da ausência do mesmo Amor que não foi acolhido e vivido no lar? Quantos grupos cristãos de crianças, jovens e adultos que param de se encontrar porque existem fortes divergências que não se resolvem por falta da fraternidade cristã?

No entanto, precisamos reconhecer que muitas comunidades, famílias e grupos são sinais do amor que renova e que anima a Igreja, que motiva e ressoa a verdade da Boa-Nova anunciada por Jesus e pelos primeiros missionários (Apóstolos e discípulos): que o Reino de Deus já está entre nós (Lc 9,2.10,9), pois nos transforma em uma nova criatura com o coração inflamado pelo amor de Cristo e sendo fermento de atitudes da verdadeira caridade no mundo.

Rezemos por todos nós para que estejamos atentos ao motivo primeiro do nosso seguimento ao Senhor: o amor entre os irmãos. Amor que é diaconia (serviço) e missionariedade na vida da Igreja e no mundo. Rezemos também pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelos Bispos, presbíteros, diáconos, pais de família e todas as lideranças que estão na caminhada da Igreja, para que encontrem sempre o motivo de sua fé e sigam firmes com o Senhor na proclamação da sua Boa-Nova que nos diz: “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros.” (Jo 13,34-35).

Recordemos que ainda estamos sob a sombra da festa litúrgica de Nossa Senhora de Fátima, celebrada no último dia 13 de maio, cujas aparições, que ocorreram entre maio e outubro de 1917, ainda repercutem em nossos dias.

E neste forte tempo de Pentecostes, tempo pascal, peçamos a Nossa Senhora, a Virgem de Fátima, Mãe da Igreja e Rainha dos Apóstolos, que ela interceda por nós para estarmos preparados para recebermos os dons da fortaleza e do conhecimento, dons fundamentais para superarmos nossas debilidades e escutarmos da Palavra de Deus e abraçarmos a vontade do Pai que está nos Céus. Amém.

*   *   *
(1) É o pregador da Casa Pontifícia desde 1980 e seu criado Cardeal em 28 nov. 2020. Cf. CANTALAMESSA, Raniero. O Verbo se fez carne: reflexões sobre a Palavra de Deus – Anos A, B, C. São Paulo: Ave Maria, 2012.

*   *   *

 

⇒ POESIA ⇐

O Novo é o Amor


Desde que nós existimos,
Lá no início da Criação,
Estava presente o Amor,
Sendo de tudo a razão,
Para sermos semelhantes,
Naquele tempo e neste instante,
Para nos fazer doação.
*
Tanto tempo e nada velho,
Pois o Amor não envelhece,
É eterno no existir,
Não se enruga, nem desfalece,
Está no início e em nosso tempo,
Ele é tudo, é alimento,
Se germina e refloresce.
*
Está em nossos encontros,
De partilha e comunhão,
Faz-nos criaturas novas,
No trabalho e na oração,
É o novo mandamento,
De Jesus, é o testamento,
Pra vivermos como irmãos.
*
Novo é a vida nova em Cristo,
Doação da vida plena,
Pois o Amor é infinito,
Que acolhe e nada condena,
Aceita nossa liberdade,
Na escolha da verdade,
A caridade Ele ordena.
*
Seguindo por este caminho,
Sempre, sempre renovados,
Ao lado do Bem Supremo,
Que é o Senhor ressuscitado,
No novo Céu vamos chegar,
E o Amor nos julgará
E novos sempre nós seremos.


*   *   *

 

Obra: “A Última Ceia”, In brooklynmuseum.org, de J. Tissot.

 

⇒ Que a Palavra e a Luz de Nosso Senhor Jesus Cristo, que manda que nos amemos uns aos outros, ilumine o seu caminho! 

 

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.