Apresentação do Senhor, Festa

Leituras: Ml 3,1-4; Sl 23(24); Hb 2,14-18; Lc 2,22-40

 

Ouça o áudio preparado para esta liturgia (pode demorar alguns segundos)

⇒ HOMILIA ⇐

Jesus: luz dos povos e glória de Israel

Lc 2,22-40

Neste 4º domingo do Tempo Comum, celebramos a Festa da Apresentação do Senhor. O texto de Lucas (cf. 2,22-40) nos apresenta o primeiro ato cultual de Jesus no Templo de Jerusalém e já nos lembrando do evento pascal onde será imolado como o Cordeiro da nova aliança para concretizar a redenção da humanidade.

O texto ainda nos remete ao clima natalino quando são transcorridos quarenta dias e Maria precisa fazer a sua oferta da purificação. Como era costume no povo de Israel quem não tinha muitos recursos para oferecer um cordeiro, poderia oferecer dois pombinhos, um para o holocausto e outro para o sacrifício pelo pecado (cf. Lv 12,8). Maria e seu esposo José fazem a oferta dos pobres, cumprem a lei do seu povo como família obediente ao que Deus lhes pede como justos e verdadeiros israelitas.

O Evangelista apresenta ainda em cena mais duas figuras: Simeão e Ana. Simeão quer dizer “escutador”, aquele que estava sempre a escuta e atento aos sinais dos tempos. Ana significa “graça”. Na sua oração atenta e silenciosa encontrou Deus e a sua graça, por isso começa a falar a todos da esperança na libertação da cidade santa, Jerusalém.

Na noite do nascimento, o Verbo de Deus se manifesta a céu aberto aos pobres que estão no campo, que pastoreiam e cuidam dos rebanhos. E como Pastor supremo e divino, vem nos mostrar que o seu amor e a sua luz é para todos os homens. Na apresentação no Templo, o menino se revela também aos pobres anciãos, orantes e atentos aos sinais e a presença de Deus para nos ensinar que os de coração aberto também oferecem um culto verdadeiro onde a oração e a escuta acontecem. Também veio para os levitas, os sacerdotes que com certeza estavam presentes e ouviram o louvor e a profecia de Simeão e Ana e perceberam que aquele rito de apresentação teve algo diferente e marcante dos tantos ritos que aconteciam no Templo durante o ano.

A apresentação do Menino Jesus no Templo nos convida a nos alegrar com Simeão e Ana, com Maria e José. Somos chamados a contemplar e acolher a Luz de nosso Deus em Cristo Ressuscitado. Na Palavra saboreamos a força e a luz para o nosso caminho, na Eucaristia, tomamos nas mãos, na boca e no nosso coração o Senhor que nos sacia com o seu amor e misericórdia.

Movidos pela alegria do Evangelho, que é a Palavra viva presente em nosso meio e pela Eucaristia, nosso alimento perfeito e verdadeiro, caminhamos como velas acessas e resistentes contra os ventos da tristeza, da desesperança e das injustiças. Com a graça, a alegria e luz do Senhor, somos movidos por ele e seremos luz para o mundo, brilhando na vida dos irmãos e irmãs que precisam do amor de Deus para transformarem suas vidas em alegria e paz verdadeira e se tornarem também mensageiro do Reino de Deus.

Meditemos nas Palavras de Simeão, as quais ficaram na Igreja e que ressoam na oração de todas as noites (na oração das completas, Liturgia das Horas), rezada pelos ministros ordenados, religiosos, comunidades de vida e muitos outros cristãos: “Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; porque meus olhos viram tua salvação, que preparastes diante de todos os povos: luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel.” (Lc 2,29-32). Amém.

 

***

⇒ POESIA ⇐

Jesus, glória e luz das nações

 

Nos braços da mãe é apresentado,
O Menino Deus, luz das nações,
A família santa oferece o culto,
Oferta de amor em seus corações,
Justiça que vem a todos os povos,
Nos lábios de Simeão, suas orações.

José do silêncio e da escuta,
Cumprindo as leis que vem do Senhor,
Humilde, obediente e silencioso,
Marido simples e cheio de amor,
Pai adotivo do Filho de Deus,
Carpinteiro Santo e trabalhador.

Nos braços de Simeão santa Promessa,
Deus está conosco a caminhar,
Palavra exigente e sentido forte,
Profecia sobre o ungido a anunciar,
Visitação vinda de Nosso Senhor,
Verbo encarnado a se apresentar.

Aos olhos de Ana, o santo Menino,
Profetiza orante em realização,
Que percebe Deus no santo Templo,
Na sua vida longa e meditação,
Louva, porque Deus está conosco,
Justiça aos povos e libertação.

Olhemos no amor a Família Sagrada,
Para todos os povos modelo perfeito,
Sempre prontos a ouvir e a meditar,
Sobre a Palavra santa e seus preceitos,
Que se concretiza no Emanuel,
Deus que visita seu povo eleito.

Olhemos a Deus Santo e amado,
Apresentado para nós no santo altar,
Manifestados primeiro aos pobres,
Na noite e nos campos a iluminar,
Nos braços firmes dos anciãos orantes,
No silêncio do Templo a se revelar.

 

*** Que a Palavra e a Luz de Jesus Cristo, guia das nações e glória de Israel, ilumine o seu caminho! ***

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.